Simões Filho

ENTENDA O PAPEL DA CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO; Dra. Jailce Andrade assume em Simões Filho

Postado em Atualizado em

Empossada como Controladora Geral do Município de Simões Filho na última segunda-feira (02), a Dra. Jailce Andrade já atuou como Sub-Controladora em Camaçari, cidade vizinha que fica na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Além disso, ela atua na área de advocacia eleitoral e tem especialização em Gestão Pública.imagem_noticia_5Ex-Secretária do Governo camaçariense por duas vezes, a última na gestão do ex-prefeito Ademar Delgado, a nova Controladora Geral de Simões Filho chegou a ser candidata à prefeitura de Camaçari no último pleito pelo PcdoB. Com larga experiência em Gestão Pública, ela também liderou a pasta de Desenvolvimento Social na cidade vizinha.

Entenda o que compete a Controladoria Geral do Município:

A Controladoria Geral do Município (CGM) é o órgão integrante da Administração Direta do Poder Executivo, com autonomia funcional, que tem por finalidade maior auxiliar o Prefeito na defesa do patrimônio público, no controle interno, na prevenção e combate à corrupção, no incremento da transparência da gestão e na racionalidade dos gastos públicos.

Entre as principais atribuições da Controladoria estão: recuperação de créditos, redução de custos e adoção de procedimentos que tragam melhores resultados à gestão, seus programas e suas atividades, visando ao cumprimento dos quatro “E” do gasto público (eficácia, eficiência, efetividade e economicidade). A meta é projetar o equilíbrio orçamentário e dar transparência às informações estratégicas sobre as contas do Município.

Redação: Marcos Castelli

Anúncios

Novo comando da Prefeitura de Simões Filho dá início a Mutirão de Limpeza

Postado em Atualizado em

Já na segunda-feira (02), a Prefeitura de Simões Filho, agora no comando do novo mandatário, Diógenes Tolentino de Oliveira; deu início ao Mutirão de Limpeza.15894750_109544369550340_7484048833059965436_n.jpgDe acordo com a assessoria de comunicação, o “objetivo é amenizar os impactos causados à população com a atual situação de degradação das ruas e canais da cidade”.15822965_109544372883673_1657402301332183793_n

Fotos: Ascom/PMSF

 

EMPOSSADO, DINHA SE TORNA PREFEITO NA 15ª ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM SIMÕES FILHO; CONFIRA TRAJETÓRIA HISTÓRICA DE PREFEITOS

Postado em Atualizado em

Na tarde do último domingo, primeiro dia de 2017, o novo prefeito Diógenes Tolentino de Oliveira (PMDB), de 50 anos, foi empossado junto com o seu vice, Sidney Serra Santana (PSDB), em cerimônia realizada na Câmara de Vereadores. Conhecido como ‘Dinha’, ele se torna o 15º político a ocupar a cadeira como Executivo Municipal, da 6ª economia do Estado da Bahia, da cidade que fica à 22 km da capital baiana e que integra um dos 13 municípios da RMS.

Antes, porém, o novo mandatário participou da missa realizada na Igreja Matriz, no centro da cidade. O novo prefeito fez questão de iniciar os trabalhos; ouvindo a mensagem cristã, além disso, dando destaque às tradições que por algum tempo se perderam, durante a gestão cessante do seu antecessor.

O pmdebista assume após a esmagadora vitória no dia 02 de outubro de 2016, onde concorreu com outros dois candidatos à Prefeitura de Simões Filho. Apesar dos dados registrados, através, de pesquisas que apontavam seu favoristimo, a campanha registrou por alguns momentos um clima de reviravoltas por parte da coligação adversária que confundiu também os eleitores com anúncios de três nomes na composição da chapa.

Com o cenário, Dinha procrastinou na definição do seu vice, entretanto, os fatores e estratégias da coligação “A Mudança Começa Agora”, conseguiu se manter até às vésperas da votação, e portanto, venceu o pleito com 34.433 votos, o que representa 59,33% dos votos válidos, contra 28,64% do concorrente social-democrata.

Diógenes Tolentino, apesar de ocupar a vaga de prefeito na 15ª administração da cidade, é o 10º mandatário, isso porque, atualmente o município de Simões Filho que estar na sua 14ª Legislatura, em 1988, ocorreu um “impeachment”, quando o ex-prefeito Eduardo Santana Simões foi cassado pela Câmara de Vereadores e o vice na época, Adolfo Cezimbra Tavares governou por 22 dias, e nesse contexto histórico, também alguns prefeitos governaram algumas outras vezes, como é o caso do prefeito cessante, José Eduardo Mendonça de Alencar (PSD), que administrou em quatro mandatos.

Diplomado no dia 14 de dezembro de 2016, Dinha inicia sua gestão com amplo apoio dos vereadores, sem contar que um dos seus principais aliados que lutou ao seu lado desde a primeira tentativa, se tornou Presidente da Câmara. Genivaldo Lima (DEM) foi aclamado pelo público presente.

Antes de encerrar o ano, os parlamentares que ocuparam cadeiras na 13ª Legislatura, cuja presidência era ocupada pelo petista, Joel Cerqueira, aprovaram a nova estrutura administrativa que reduziu de 22 para 14, o número de secretarias municipais e que deverá reduzir gastos na máquina pública, segundo o alcaide, na ordem de cerca de R$ 35 milhões ao ano e R$ 140 milhões em quatro anos.

Conforme ressaltado pelo novo prefeito, em inúmeras coletivas para a imprensa local, nos anúncios do seu secretariado, os desafios são inúmeros, os problemas não se resolverão da noite para o dia, mas a intenção é de todos erguerem as mangas e trabalhar pela cidade, que nos últimos meses, inclusive, vive uma onda assustadora protagonizada por um cenário de violência, mesmo sendo um dos municípios da RMS que conseguiu diminuir o índice de homicídios com relação aos anos anteriores.

dinha-posse-768x432Em seu discurso de posse, o novo prefeito considerou como linda e maravilhosa a grande vitória concedida por Deus e por quase 35 mil simõe-filhenses que confiou na força da sua liderança para ultrapassar uma era em que o seu trabalho viverá a expectativa de ser esquecida e agora resgatar com a união de todos, dias de luzes e de motivação para à população.

Ainda em discurso, Dinha se emocionou ao relembrar momentos do seu passado. Em um momento difícil do passado, ele acrescentou que pai, falecido em 1995, desejou sair de Simões Filho, mas de forma visionária, sua mãe incentivou continuar vivendo no município. Ele chegou agradecer. “Obrigado mainha porque se não ficássemos aqui, hoje não seria prefeito”.

Sempre demonstrando também, através, das redes sociais a união familiar, Dinha agradeceu o apoio da sua esposa, a vereadora e primeira-dama, Kátia Cristina Cerqueira de Oliveira (PMDB), e a chamou de “Minha Eterna Namorada”.

Aos seus filhos, o mandatário dirigiu com muita humildade ao mencioná-los; dando exemplo de que com a união familiar é possível sim, vencer os desafios, ultrapassar as barreiras e acima de tudo conquistar vitórias.

Logo após, em comitiva, o novo mandatário de Simões Filho, por volta das 20h, se dirigiu junto com seu vice, à prefeitura onde o foi realizado a transmissão de governo com a presença do ex-secretário do governo cessante, Adolfo Cezimbra.

Coincidência ou não, a vaga ocupada para a 15ª administração pública do município; coincide com o número ‘15’ do seu partido, PMDB e como 10º prefeito, já que três mandatários antecessores tiveram de 2 a 4 mandatos, coincide com o que a população espera que é uma governança 10.

CONFIRA A RELAÇÃO HISTÓRICA DE PREFEITOS DE SIMÕES FILHO:

1. Cícero Simões; eleito em 1962, governou de 1963 até 1966.

2. Noêmia Meireles Ramos; eleita em 1966, governou de 1967 até 1970.

3. Berlindo Mamede de Oliveira; eleito em 1970, governou de 1971 até 1972. (O mandato seria até 1973, mas foi interrompido pela manobra do governo militar)

4. Walter Aragão de Souza; Nomeado pelo Governador na época, governou de 1973 até 1974.

5. João Filgueiras Simões Filho; Também nomeado pelo Governador na época, administrou de 1975 até 1985.

6. Eduardo Santana Simões (Sobrinho de João Filgueiras Simões Filho), eleito em 1985, governou até 08 de dezembro de 1988. (O mandato seria até 31/12/88, mas foi cassado pela Câmara de Vereadores de Simões Filho.

7. Adolfo Cezimbra Tavares; eleito vice prefeito de Eduardo Santana Simões, assumiu a Prefeitura com a cassação do prefeito e governou de 09 a 31 de dezembro de 1988, completando o mandato.

8. Berlindo Mamede de Oliveira; governou de 1989 até 1992. (2º mandato).

9. José Eduardo Mendonça de Alencar; elegeu-se vereador em 1988; eleito prefeito em 1992, governou de 1993 até 19996.

10. Edson Almeida de Jesus; vereador por várias vezes, foi eleito prefeito em 1996 e governou de 1997 até 2000.

11. José Eduardo Mendonça de Alencar; eleito em 2000, governou de 2001 até 2004. (2º mandato).

12. Edson Almeida de Jesus; eleito em 2004, governou de 2005 até 2008. (2º mandato)

13. José Eduardo Mendonça de Alencar; eleito em 2008, governou de 2009 até 2012. (3º mandato)

14. José Eduardo Mendonça de Alencar; reeleito em 2012, governou até 2016. (4º mandato)

15. Diógenes Tolentino de Oliveira; eleito em 2016, governará entre 2017 a 2020.

Redação RedeImprensa /Marcos Castelli